O que é a síndrome do impostor?

O que é a síndrome do impostor?

Provavelmente você já ouviu falar sobre essa tal Síndrome do Impostor por aí. Muito se fala dela, mas nem todo mundo sabe ao certo o que é! Por isso, hoje vim aqui te explicar um pouco melhor sobre o que se trata.

O que é?

A Síndrome do Impostor é a expressão usada para descrever aquela crença de que o sucesso e resultados alcançados são pura sorte e que a qualquer momento você será descoberta como uma completa farsa – se identificou aí?

Essa Síndrome não está listada no Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5) – explicando de forma bem simplista, esse manual classifica e determina os transtornos mentais. Mesmo não listada, sabe-se que essa é uma condição que atinge diversas pessoas e pode causar limitações na vida delas, além de situações de grande estresse que podem levar a sintomas de ansiedade ou depressão.

Ao acreditar que você não é capaz, que outros serão sempre melhores e que a qualquer momento poderá ser substituída, você ganha como companheiros diversos sentimentos de medo que te travam e fazem com que você se compare de um jeito distorcido com outras pessoas.

Como acontece?

Essa autoimagem distorcida acontece com mais frequência na vida acadêmica e profissional, e pode fazer com que a pessoa se boicote para “provar sua incapacidade”, fazendo sempre com que a crença de ser inferior seja confirmada.

Alguns exemplos disso são: Comparar sua vida com outras pessoas considerando apenas uma parte da realidade delas, ignorar ou diminuir conquistas próprias, entender que apenas a conquista do outro é suficiente ou se convencer que você sempre “deixa a desejar” em algum fator.

Sei que muitas de vocês que estão lendo vão se sentir identificadas com isso e tendo a dizer que isso tem se tornado cada vez mais comum, porque vivemos em uma sociedade que cada vez nos “cobra” mais entregas e realizações – e muitas vezes compramos isso sem nos perguntar se faz sentido em nossa vida.

Essas crenças costumam ser criadas quando crianças e vão se modificando ao longo da vida por conta do meio social e experiências de vida. Por isso, se você se identificou com o que escrevi até agora, te convido a pensar como essa sensação de farsa tem feito você se sentir inferior, tornando-se alguém perfeccionista, com extremo medo de errar e/ou até travando você de começar qualquer atividade.

O que fazer para mudar?

Um dos caminhos para não ser mais impedida pela Síndrome do Impostor é começar a acreditar em si. Eu sei que não é tão simples, mas você só conseguirá parar de se sentir uma farsa quando permitir-se ver que não é!

Reflita:

  •         Quando começou a acreditar que não era o suficiente?
  •         Essa crença tem sentido?
  •         Você é tão exigente com o mundo quanto é consigo?
  •         O quanto suas auto exigências são exageradas?

Com base nas respostas, identifique as principais raízes dessa crença e comece a traçar caminhos para desconstruí-las, mas lembre-se que não é algo tão rápido e pode ser que precise de ajuda profissional. Se for o caso, procure uma psicóloga e saiba que isso não é sinal de fraqueza ou de que você não dá conta, pelo contrário: é sinal de que você está se cuidando e querendo o melhor para si!

A imagem que você tem de si altera a todo momento, mas ela só poderá ser positiva se você for amável consigo e se permitir reconhecer os seus valores, sem achar que aquilo é o mínimo. Você pode ser sua melhor amiga!

Que tal começar agora? Tome um tempo agora, responda as perguntas acima e reflita sobre elas. Se você quiser, compartilha comigo alguns pontos dessa sua reflexão aqui nos comentários.

Te convido a chamar uma amiga sua para fazer esse exercício também. Assim como você, provavelmente tem uma amiga sua que tem a Síndrome de Impostor e às vezes nem se deu conta! Então, envie este texto pra ela e juntas vocês podem vencer isso!

Psicologa Debora Barros

Debora Barros

Psicóloga
Apoiando a transformação da sua autoimagem e melhora da sua autoestima.
11 93300-9142

Related Article

2 Comentários

  1. Luciana
    6 meses atrás

    Faz muito sentido para mim! Obrigada

    • Debora Barros
      5 meses atrás

      Olá Luciana, fico feliz em ter feito sentido para você e pode ajudar com esse conteúdo 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *