É preciso sentir!

É preciso sentir!

Alguns conteúdos da internet vendem que é possível atrair coisas boas para sua vida sendo positiva e se afastando de todas as coisas negativas. Eu até acredito nisso, mas não da forma como mostram por aí.

O que precisamos aprender é que TODOS os sentimentos e emoções são importantes.

A Psicologia Positiva estuda isso há alguns anos e tem mostrado que a forma como enxergamos as situações e coisas vão ditar como encaramos ela, mas o problema começa quando os gurus da internet começam a te dizer que você precisa estar 100% do seu tempo grato e feliz – o que não é uma realidade possível.

As pessoas que seguem esse tipo de conteúdo acabam se sentindo mal por não conseguirem isso e se cobram ainda mais para fugir desses sentimentos “inoportunos”. Spoiler óbvio: isso vira uma bola de neve!

O que precisamos aprender é que TODOS os sentimentos e emoções são importantes. Eles são como bússolas para nos mostrar o que vai bem e o que não está tão legal, nos ajuda a trilhar nossos caminhos e fazer melhores escolhas. Precisamos dar a devida atenção quando eles aparecem e acolhê-los, mesmo que doa ou seja desagradável. Se eu não me demoro neles, não consigo nomear nem compreender de onde vem.

Então, partindo desse princípio, não dá para você simplesmente ignorar seus sentimentos ruins e viver só de luz e coisas boas, porque as chances de isso virar um problema para sua vida são muito mais altas do que você atrair apenas luz e borboletas.

Isso significa que você precisa viver em sofrimento?

Não! Significa que, para poder sentir gratidão, focar no que te faz bem e olhar as coisas por uma vertente mais positiva você precisa primeiro entender e acolher tudo que sente. Depois disso você pode digerir, ajustar o que precisar e seguir em frente, de um jeito que não arraste aqueles incômodos para baixo do tapete e eles continuem ali apenas sendo ignorados.

É como se nossas emoções fossem uma pilha de louça: ignorar a existência dela não fará com que ela se lave sozinha, né?

Mas você também não precisa demorar a tarde toda lavando 20 vezes a mesma louça, basta entender que precisa fazer, lavar a louça com o cuidado necessário e depois correr para o abraço e degustar seu dia livre com a cozinha limpinha!

Feito isso consigo começar a sentir gratidão por tudo?

A partir do momento que você acolhe o que sente, pode entender melhor o processo e encarar as coisas por um ângulo mais positivo, mas lembre-se que isso não deve ser uma obrigação, como aqueles check lists da felicidade que vendem por aí.

A gratidão tem diversos benefícios, entre eles a ajuda muito na nossa percepção de felicidade e afeta como olhamos a vida. Além disso, molda as pessoas com quem nos relacionamos e, consequentemente, podemos perceber novos caminhos e saídas para questões que até então eram complicadas.

Recomendo de verdade que todas as noites você relembre seu dia e seja grata por pelo menos 03 coisas que aconteceram. Podem ser coisas simples como uma conversa corriqueira, algo que você comeu ou o fato de você ter sua cama quentinha.

Mas fazendo tudo isso entenda que você ainda não atingiu o nível máximo da evolução espiritual para conseguir ser grata no momento que as coisas estão machucando. Acolha esses sentimentos e depois perceba que a gratidão virá em outros pontos.

Que um exemplo? Você pode se sentir triste por ter perdido alguém que ama e precisa acolher isso. Também terá raiva, dor, tristeza e diversos outros sentimentos envolvidos.

Depois de acolhido tudo isso, você não se sentirá grata pela morte da pessoa, mas pode exercer a gratidão pensando: “Sou grata por ter aproveitado meu tempo com ela”, “Sou grata por ter a oportunidade de vivermos tudo que vivemos”, “Fico triste porque quero ela comigo, mas sou grata por tê-la conhecido”, “Sou grata por carregar ela em meu coração”, etc.

A ideia é conseguir acolher o que sente, entender e deixar ir. Quando isso acontecer, no seu tempo, aí sim poderá começar a exercer a gratidão, sair do processo de dor e não ruminar mais aquilo que machuca.

Então, a dica que eu dou para vocês é tomar cuidado com toda essa good vibes vendida por aí. Primeiro você precisa sentir e acolher o que tem aí dentro, entender que faz parte as coisas não estarem bem, você não estará bem 100% do tempo e isso é a vida real. Afinal, já dizia Frejat: “rir é bom, mas rir de tudo é desespero”.

Essa reflexão fez sentido para você? Então te convido a compartilhar esse artigo com suas amigas e ajudá-las a entender melhor essa Psicologia Positiva, para não caírem mais no conto da Positividade que tentam vender na internet!

Além disso, proponho um desafio a vocês: Por uma semana, faça anotações de gratidão que mencionei ali em cima e se você se sentir à vontade, me marca lá no Instagram @debarros.psico. Veja como se sente depois desses dias e me conta por lá. Vou adorar saber se tem funcionado para você!

Psicologa Debora Barros

Debora Barros

Psicóloga
Apoiando a transformação da sua autoimagem e melhora da sua autoestima.
11 93300-9142

Related Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *