A ansiedade e o empreendedorismo

A ansiedade e o empreendedorismo

A ansiedade é uma emoção e mecanismo de defesa – assim como o medo. Está lá para nos ajudar e trazer alertas para possíveis perigos. Sendo assim, não é algo que nós podemos escolher se vamos ou não sentir! (spoiler: fuja de quem promete “curas”).

Ela aparecerá em vários momentos, como quando você tem algum evento que considera importante no dia seguinte, quando está prestes a se apresentar ou fazer algo novo. Enfim, cada uma terá um estímulo para a ansiedade, mas note que sempre tem a ver com algo num futuro – próximo ou distante.

A ansiedade vem como uma amiga, que se diz preocupada com você, pois acha que você precisa estar preparada para qualquer defesa necessária, afinal, ela não quer que nada saia errado. Até aí tá saudável, tudo bem! O problema é quando sua amiga começa a te convencer que não importa o que você faça, vai dar errado!

Se trata de um caminho longo e que a prática irá te ajudar cada vez mais a não ser dominada pela ansiedade.

Ela começa a falar coisas desagradáveis sobre você e suas capacidades, cria situações catastróficas e cada vez o buraco fica maior. Daí você entra em um ciclo de tentar controlar tudo e todos, ao mesmo tempo que se convence que não vai conseguir fazer isso e vira um ciclo vicioso.

Geralmente a ansiedade conta com a ajuda da sua autocobrança e daí inicia o caos interno, porque junta o discurso do “algo muito catastrófico vai acontecer” com o “Você não dá conta de nada disso”, o “Faça mais” e o “Não tá bom”

Você já passou por algo assim: se cobrar a dar conta de tudo, sentir a obrigação de fazer mais coisas do que é possível num dia, se cobrar quando descansa, no fim do dia se cobrar pelo que não foi feito, ignorando as realizações ou achando que elas não foram o suficiente. É como se a autocobrança andasse de mãos juntas com a ansiedade: quando uma chega, já puxa a outra. Então para te ajudar, aqui vão quatro dicas para aprender a lidar com ela:

Autoconhecimento

Não tem como fugir disso! Conhecer a si mesma é muito importante para entender como as coisas te afetam. Pensa só: para se relacionar bem com alguém, você precisa conhecer essa pessoa – e porque seria diferente consigo mesma?

Descubra como você funciona, o que realmente te faz bem (pode até olhar para o outro, mas como referência e não como regra!), as coisas que realmente fazem sentido para você, o que você realmente quer e os caminhos que precisa seguir.

Algumas ferramentas que realmente podem ajudar podem ser: auto-observação, escrita terapêutica, psicoterapia, ter um diário, meditação e atividades artísticas (se feitas com a intenção de autoconhecimento, claro).

Diminua a autocobrança

Lembra que falei sobre como a autocobrança vem acompanhando nossa ansiedade? Essa voz interna que fica te dizendo que o mundo vai dar errado e a culpa é sua precisa começar a ser silenciada!

A voz boicotadora da autocobrança muitas vezes vem disfarçada de bons conselhos ou intuições, mas na verdade ela é bem diferente! Se você questionar um pouco as afirmações vai perceber que elas não têm fundamento, além de sempre te levar para a crença de que você não é capaz ou boa o suficiente – ou seja, é uma cilada Bino!

Não busque resultados rápidos ou milagrosos

Para colocar tudo em prática é importante estar atenta a usar as ferramentas certas. Não adianta sair desse texto procurando no GoogleCura rápida para ansiedade” porque isso não existe e pode só te colocar em uma situação pior por não se sentir capaz de “atingir essa cura”.

As coisas levam tempo e precisam de sua dedicação, respeito e amorosidade.

Respeite seu tempo

Essa é uma das dicas fundamentais. Não adianta se comparar com uma amiga que atingiu isso em 3 dias. Cada uma funciona de uma maneira e você precisa se acolher com amorosidade e respeitar que cada um tem seu jeito, seu momento e seu tempo. O seu tempo é único e exclusivo, então tenha isso em mente sempre!

Lembre-se que se trata de um caminho longo e que a prática irá te ajudar cada vez mais a não ser dominada pela ansiedade.

É importante também estar alerta: caso a ansiedade comece a atrapalhar suas atividades diárias básicas, te trave e/ou gere mais sintomas físicos, procure ajuda! Busque por Psicólogos e Psiquiatras e não se julgue como insana por isso. Te garanto que vale muito a pena e muda sua qualidade de vida!

Você conhece uma amiga empreendedora? Então envie essa reflexão para ela – às vezes ela pode não te contar, mas sente essa ansiedade também. Vamos juntas apoiar uma à outra!

Psicologa Debora Barros

Debora Barros

Psicóloga
Apoiando a transformação da sua autoimagem e melhora da sua autoestima.
11 93300-9142

Related Article

2 Comentários

  1. Luciana
    1 semana atrás

    Essa amiga ansiedade é amiga da onça kkk

    • Debora Barros
      1 dia atrás

      Pois é Luciana, por isso é tão importante impor limites para essa ‘amiga” 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *