Viver sem a presença Paterna

Viver sem a presença Paterna

PAI…
No dicionário a palavra é definida como:
1- homem que gerou um ou mais filhos; genitor, progenitor.
2- homem em relação aos seus filhos, naturais ou adotivos.

Na história da minha vida a palavra pai está escrita como o genitor, aquele que somente gerou.

Aos 38 anos eu paro para pensar em toda a minha trajetória sem a presença masculina de um pai. O que significou essa ausência para mim?

Antes de falar do meu genitor, preciso falar da minha mãe. Voltamos ao ano de 1981, mamãe tinha somente 15 anos quando descobriu sua gravidez. Uma adolescente criando uma criança. Uma idade em que a adolescente precisava da força, parceria e o amor do homem para qual entregou seu corpo e sua alma. O que não houve. Ele se eximiu de toda a sua responsabilidade, do pai que cuida, cria, educa, oferece todo o seu amor.

Quando pequena, por volta dos 6 anos, não era tanto a falta de um pai que eu sentia e sim, a curiosidade em saber como ele era fisicamente. Em meus pensamentos, ele sempre aparecia como uma figura nobre, intocável, e, de fato, ele era intocável para mim.

Meu primeiro choque de realidade foi quando o vi pela primeira vez. Uma imagem que nunca sairá da minha mente. Estava brincando no playground do edifício onde minha avó morava, passava férias, para minha surpresa ela me chamou para entrar e quando entrei naquela sala tão familiar, avistei um homem sentado em uma poltrona que me olhava, senti algo em seus olhos que não consigo explicar até hoje.

Talvez pelo fato de ser o meu pai, ali diante de mim, nunca havia estado antes naquele posto.

Minha avó e minha tia naquele ambiente, antes tão familiar, mas que passou a ser um lugar estranho e diferente, as pessoas se olhavam sem dizer nada, até que minha amada avó, já falecida, me perguntou:

Sabe quem é este senhor?

A partir, daquela pergunta, senti meu corpo de menina tremer, era como eu já soubesse a resposta. De repente, o nome tão conhecido, mas tão distante saiu de sua boca. Assustei-me e saí correndo, chorando. Parei de correr e chorei copiosamente.

Eu não sei afirmar o porquê tive aquela reação. Talvez pelo fato de ser o meu pai, ali diante de mim, nunca havia estado antes naquele posto, então eu não sabia como reagir. Ao retornar, aquele homem já não estava mais lá e foi a primeira vez e penúltima em que o vi.

A segunda vez, não me lembro com detalhes, somente que foi no tribunal para tentar um acordo referente a minha pensão que ele não pagava há alguns meses, mas foi coisa rápida. Lembro que ele me deu algum trocado nas mãos e um beijo na testa que eu fiz questão de limpar, uma menina tendo uma reação espontânea e não se importando com os sentimentos daquele homem que nunca havia se importado com os meus.

Eu queria ter um pai, uma família completa, mas isso não me impediu de ser feliz, de ter as minhas conquistas, de ser quem eu sou, por que minha mãe, minha maior inspiração, sempre esteve do meu lado e tentou dar amor por dois. Criou-me, educou da forma mais pura e justa.

Hoje, afirmo que sou e fui muito feliz, mas como qualquer ser humano, tenho minhas fraquezas, meus momentos de saudades e uma falta do que eu não tive. Um abraço apertado, um afago, um cafuné nunca antes recebido, deitar em seus braços e sentir um amor diferente, amor de pai. Alguém para me defender do namorado que me fez sofrer, enfim, tantos momentos que somente um pai pode proporcionar.

Apesar desta carência, sempre mantive os pés no chão e até cheguei a sentir raiva em alguns momentos. Foram esses que me fizeram perceber o quanto tenho uma mãe tão especial. Uma guerreira, mulher forte em que me inspiro demais. Meu pai nunca esteve presente, desde o meu nascimento, por este fato, acredito que lido melhor com algumas situações e não sinto tanta diferença em minha vida, por não ter essa figura masculina.

Confesso que sentimentos rondaram minha fase adulta e, por algumas vezes, senti vontade de procurá-lo, mas nunca me encorajei para este ato. Soube que ele até tentou me procurar nas redes sociais, mas não teria como me encontrar porque nunca usei seu sobrenome. Essa atitude mexeu comigo, mas não foi o suficiente para eu ir atrás dele e sigo minha vida, normalmente aguardando as surpresas que ela me reserva.

Related Article

11 Comentários

  1. Rossano Scarpitti
    1 ano atrás

    Lendo esse texto só me da mais certeza de que você é uma mulher espetacular!!! Forte, batalhadora e, mesmo com a ausencia do seu pai, sempre encarou e seguiu em frente na vida !!!
    Parabéns pela mulher que você é, meu amor!!!
    E parabéns também pelo texto que expressa todo o seu sentimento sobre a ausência paterna! Foi muito bem escrito e nos prende até o final !!!

    • Daniela
      1 ano atrás

      Obrigada, meu amor e parceiro, em vc, tenho a experiência de sentir uma figura masculina que se importa, de verdade comigo!!

  2. Lucilene Martins Capra
    1 ano atrás

    Oh amiga ,o que dizer da rua história.,você poderia se tornar uma pessoa frustada e amargurada nesta vida ,mais muito pelo contrário, é cheia de alegria,força de vontade ,é guerreira e uma mulher muito forte .Deus capacitou sua mãe para desempenhar os dois papéis, e ela fez um excelente trabalho, por que vemos hoje esse resultado .Parabéns pelo que vc se tornou 👏👏👏👏👏,um grande abraço, Luci💋

    • Daniela
      1 ano atrás

      Lindo comentário!!
      Me emocionei de verdade!!
      Deus capacitou a minha mãe para desempenhar os dois papéis, vc tem toda a razão!!
      Obrigada pelo carinho!!
      😘

  3. Lucas Laroca
    1 ano atrás

    Uma história comovente . Mostra o quanto você é uma mulher guerreira e especial . Apesar das adversidades você conseguiu contornar as dificuldades e se tornou essa pessoa maravilhosa que tenho gratidão de conhecer e que admiro ainda mais . Orgulho de você minha querida. Um super beijo.

    • Daniela
      1 ano atrás

      Acredito que somos aquilo que queremos ser!
      Frase totalmente clichê mas que cabe para a nossa vida. E eu escolhi seguir sempre em frente, ao invés de lamentar a falta de uma figura paterna e agir contra os meus princípios!
      Obrigada, meu querido!!

      • Mara
        1 ano atrás

        Parabéns Amiga por compartilhar uma parte da sua trajetória de vida. Trajetória essa sim de muitas vitórias e conquistas! Essa sensação de ausência não te impediu de ser a Mulher que você é! Parabéns pela pessoa maravilhosa ,dona de um coração enorme, fraterno repleto de sensibilidade e muita bondade !Te admiro muito uma mulher inteligente
        e guerreira que sabe muito bem o que quer!Beijos da sua Amiga Cabeça!
        😍😍😍

  4. Mara
    1 ano atrás

    Parabéns Amiga! Pela coragem de vir a público compartilhar sua historia de vida, na qual eu vejo como uma parte de toda a sua trajetória. Trajetória esta marcada não só pelo sentimento de ausência mas também marcada por alegrias, conquistas e muitas boas realizações ! Saiba que te admiro muito ,você é dona de um coração enorme que transborda fraternidade e muita bondade! A Ausência de uma figura paterna não te empediu de ser uma pessoa doce,sensível ,guerreira e muito humana! Uma mulher que sabe muito bem o quer! Beijos da sua Amiga Cabeça!

    • Daniela
      1 ano atrás

      Sem palavras para essa mensagem!!
      Obrigada pelo carinho e respeito que sempre teve comigo, esse sentimento é recíproco e, por amizades como a sua é que me fizeram ser uma parte da pessoa que sou hj!!
      Aprendi muito com vc, minha grande amiga e te admiro demais tmb!!
      Essa mensagem vais ficar em meu coração e suas doces palavras ecoando em minha mente!!
      Grata por tudo!!!

  5. Antônio
    9 meses atrás

    Hoje em dia a consegue se achar de tudo o que é bom e
    ruim e pode levar as pessoas aos lugares que elas nunca
    imaginaram. Porém tem alguns artigos na internet que são
    pura perda de tempo infelizmente. Posso dizer que o seu
    artigo ajudou muito e também é de extremo valor. Muito
    obrigado pela informação e compartilhado no meu
    facebook.

  6. Davi
    6 meses atrás

    Ual que história de vida.
    E não podia deixar de falar, como vc escreve bem. Parabéns em ambas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *