Por que posso ser descartada na primeira entrevista?

Por que posso ser descartada na primeira entrevista?

A relação entre empregador e empregado é uma relação de troca e por isso a importância de ouvir e entender as demandas e necessidades da empresa.

Você sabe quais os principais motivos que levam o RH a descartar um candidato logo na primeira entrevista de emprego? Segundo a 8ª edição do Índice de Confiança Robert Half, divulgada em 2019, mas ainda bastante atual, são apresentados sete fatores mais relevantes, que você verá logo abaixo, juntamente com meus comentários sobre como se preparar e ficar mais próxima de conquistar um desempenho superior nesta etapa tão decisiva.

Perceber que o candidato mentiu no currículo é o responsável por 33% das eliminações

O principal objetivo de uma entrevista de emprego é identificar e reconhecer no candidato as competências técnicas e comportamentais necessárias ao cargo e alinhamento com a cultura e valores. E como isso é feito? A todo o momento seus conhecimentos e experiências serão testadas, através de exemplos de situações que você tenha vivido no dia a dia de trabalho. Determinados conhecimentos poderão ainda ser testados, como uma entrevista em inglês, por exemplo. É embaraçoso tanto para o candidato quanto para a empresa quando se  descobre que o que foi relatado no seu currículo, não condiz com a realidade.

Muitos profissionais acreditam que determinados requisitos podem ser flexibilizados pelo RH, caso sejam identificadas outras competências mais relevantes que os “compensem”. Mas não é você enquanto candidata que deve determinar isso e sim a empresa. Por isso, seja sincera no seu currículo e procure dar destaque aos conhecimentos e experiências que você efetivamente possui, especialmente aqueles relacionados ao cargo. Caso o RH entenda que vale a pena entrevistá-la, ainda que faltem alguns requisitos, ele o fará. Não perca o seu tempo e o da empresa mentindo.

Quando se percebe que o candidato não se encaixa à cultura e ao clima da empresa corresponde a 27% das eliminações

Pesquisar a fundo sobre a empresa deveria ser a primeira atitude do candidato, antes mesmo de se candidatar a uma vaga. Mapear aquelas que estejam em consonância com os seus valores, com suas competências, seus objetivos e até mesmo a sua personalidade deixará você mais próxima da desejada aprovação.

Como é estruturada a empresa? Como se dão as relações hierárquicas? Trata-se de um ambiente com cultura de portas abertas, onde a Diretoria está próxima de todos os colaboradores ou não? A inovação e colaboração são incentivadas? Processos burocráticos e hierárquicos predominam? Há flexibilidade de horário? A ideia aqui é pensar nos fatores que realmente importam para você no dia a dia de trabalho e de acordo com os seus objetivos profissionais. Coloque na balança este fatores e entenda o que é viável para você flexibilizar dentro das suas prioridades.

Neste processo, o networking é um grande aliado, pois através de contatos com outros profissionais conseguimos ter uma visão muito mais aprofundada e assertiva das empresas. Ninguém melhor para falar senão alguém que vive diariamente a experiência de trabalhar em determinada empresa, não é mesmo?

Quando a pessoa não demonsttra interesse pela vaga é responsável por 11% das reprovações

Parece contraditório alguém ir desinteressado para uma entrevista de emprego, mas é mais comum do que se imagina. Entendemos que a situação do desemprego leva profissionais a buscarem oportunidades que não condizem com os seus objetivos profissionais. A empresa que não é a dos seus sonhos, o salário muito abaixo da sua experiência, a falta de oportunidade de crescimento profissional,  são alguns exemplos que podem desmotivar o profissional e afetar o seu desempenho na entrevista.

Certa vez entrevistei um profissional, cujos pés apontavam na direção da porta. Sua postura corporal inteira claramente demonstrava sua vontade de sair correndo dali. Não precisaria ter feito uma só pergunta para atestar a sua má vontade com a entrevista e quando as fiz, só ficou comprovada a situação constrangedora de fazê-lo perder o seu tempo e o meu.

Antes de se candidatar a uma vaga, questione-se:

1 – Por que estou me candidatando?

2 – O que a vaga e a empresa podem me oferecer que condiz com os meus objetivos?

3 – Posso aguardar por uma oportunidade mais condizente com o que desejo?

4 – O que conseguir este emprego para o qual estou pensando em me candidatar pode me trazer de positivo? E o que poderá me trazer de prejudicial se não consegui-lo? Essa questão ajuda os profissionais a olharem por outro prisma, evidenciando os pontos positivos e tornando o processo decisório mais consciente, o que consequentemente se reflete em uma postura mais confiante e interessada na entrevista.

Também com 11% aparece o fator falar mal de empregos / empregadores anteriores

Apontar indiscriminadamente os erros cometidos pela empresa ou pela gestão anterior tira o foco do que é positivo em você e ainda traz dúvidas quanto a autorresponsabilidade pela sua carreira.  Saiba sempre se posicionar de forma tolerante em relação a empresas e profissionais com quem trabalhou, evidenciando mais o que você busca hoje, de acordo com as suas competências, valores e objetivos do que colocar foco em situações que te desagradaram no passado.

6% disseram eliminar um candidato quando ele não sabe se comunicar e 5% quando percebem que o candidato não se preparou para a entrevista

Transformar a sua trajetória em um discurso claro e objetivo é fundamental em uma entrevista e para isso você deve extrair de cada experiência profissional os aprendizados e conquistas mais relevantes, identificando as competências que foram essenciais para a obtenção de resultados positivos.

Faça este exercício previamente e você não irá desviar o foco da entrevista e do que realmente importa trazer de informação e terá muito menos chance de ser surpreendido com alguma pergunta que não saiba responder.

Lembre-se que estudar sobre a empresa faz parte desse preparatório, para que seu discurso esteja o mais alinhado possível com os objetivos da vaga e da empresa.

Por último, mas não menos importante, 4% afirmaram eliminar um candidato quando ele não sabe ouvir

A relação entre empregador e empregado é uma relação de troca e por isso a importância de ouvir e entender as demandas e necessidades da empresa. Chegar na entrevista acreditando que você é o último biscoito do pacote ou que mostrar o seu valor é o único objetivo daquela conversa é um tremendo engano.

Quando você exercita a escuta ativa, é capaz de perceber com mais assertividade como você poderá contribuir com os objetivos do cargo e da empresa. Além de demonstrar empatia e humildade, de quebra seu discurso poderá se tornar ainda mais alinhado com a empresa, aumentando as suas chances de sucesso. Igualmente você poderá perceber que a vaga não condiz com suas experiências ou objetivos.

alice castro nunes

Alice Castro Nunes

Consultora de carreira e recolocação profissional para mulheres
Telefone/WhatsApp: +55 21 99106-6708
Insta: @alicecastronunes
Linkedin: alicecastronunes

Related Article

01 Comentário

  1. Luciana
    3 meses atrás

    Amei Alice! Ótimo artigo, todo mundo deveria ler isso 👊🏾

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *