O ato de vestir

O ato de vestir

Moda é aquela capaz de acentuar a nossa individualidade (em vez de uniformizar), de ajudar a expressar quem somos e como vemos a vida. Para isso é preciso voltar a fazer moda com propósito. Moda além da roupa. Vivemos um período de resgate da liberdade de Ser e de criar, mais autoral e individual.

Certas ou erradas, devemos buscar escolher o que faz sentido para nós. Fazer da moda a expressão de quem nós somos. A moda fala sobre escolhas e preferências, humor e paixões. Entender e acolher o aspecto único como uma grande qualidade é definitivo. É um movimento de dentro pra fora, e de fora para dentro. Um infinito!

O ato de vestir é um processo de construção. Boa moda, é a que transmite significado, intenção. E a ruim, ainda que nos recorde algo, deixa escapar a essência. É preciso se preocupar com a essência e não só com a tendência. O que te deixaria feliz hoje? Descobrir o que realmente é importante para você tem a ver com duas coisas: Liberdade e Autoconhecimento.

Roupa e moda cumpre uma série de propósitos. Adorno, proteção, diferenciação e legitimação, por exemplo. Papéis tão importantes que muitas vezes transcendem a utilidade da peça e que tem em comum o propósito de servir a vida das pessoas. Servir aos seus sonhos. Servir a construção da sua identidade. Servir a busca e ao autoconhecimento.

ato de vestir - jovem moça com roupa fashion
Ato de vestir - Jovem moça preta deitada na cama com roupa fashion

A moda pode ser uma propaganda de ideias de vida. Comece pensando em quais ideias você gostaria de promover. Vestir-se é um encontro com nós mesmos. A nossa forma de vestir-se é algo que afeta todos os outros setores da nossa vida. Por isso acredito na moda como um meio de autoconhecimento, que pode ajudar a guiar, incentivar e consolar, facilitando nossa evolução. Mas, não confunda autoconhecimento com autoestima. Autoestima é como músculo que deve ser frequentemente exercitado.  Se vestir é uma oportunidade e tanto para nos conhecermos.

Usar a moda para olhar para dentro, pode ajudar a retomar partes faltantes da personalidade ou reforçar outras já existentes. Essa busca é o que conduz ao estilo individual, uma conquista pessoal aos que se dispõem ao maravilhoso exercício do autoconhecimento e da aceitação. A forma como nos vemos ou como achamos que somos pode determinar como o outro nos vê. Nenhum julgamento é tão importante quanto aquele que nós fazemos de nós mesmos.

Todo dia é sempre igual. O que se vai fazer dele é o que o torna especial.

Leve para casa!

  • Não se leve tão a sério. Seja você a modelo, seja você sua própria estilista
  • Alimente o olhar, não o raciocínio. Não calcule o que vai vestir: sinta
  • Moda é uma porta para liberdade: use-a. Ter estilo não significa vestir-se sempre da mesma forma
  • Não use a moda para parecer outra pessoa, e sim para gostar mais de ser quem você é
  • Sorria! Você está sempre aprendendo

Dicas

Podemos usar diversos elementos do design ao nosso favor, tanto para comunicar proximidade e casualidade quanto para expressar formalidade e distanciamento.

Acessibilidade e Casualidade – cores claras, suaves e quentes; tecidos macios, fluidos com texturas e maleáveis; linhas curvas e arredondadas; estampas.

Distanciamento e Formalidade – cores escuras, intensas e frias; tecidos rígidos, encorpados, lisos e sem texturas; linhas retas e geométricas; cores sólidas.

Busque harmonia, misturando os elementos para chegar ao objetivo de imagem desejada. Respeitando seus gostos e essências, sendo coerente aos ambientes sociais.

Related Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *