Meus cuidados com a depressão

Meus cuidados com a depressão

Dia 09 de junho de 2021. Com toda certeza esta é uma data que vai ficar gravada em mim. Eu fui diagnosticada com depressão e síndrome do pânico.  Em janeiro de 2019 eu tive a minha primeira crise, foi aí que eu tive consciência que não estava com um comportamento normal.

Comecei a pontuar o que me tirava do eixo na minha vida pessoal também, fui nascendo novamente.

É difícil admitir que você precisa de ajuda, normalmente é uma terceira pessoa que enxerga e nunca a gente mesma. Quando vi que não tinha mais forças para querer viver a vida, fui imaginar como seria a minha mãe tendo a notícia que eu não teria mais forças para viver. Sim, eu pensei que a vida não fazia mais sentido pra mim, com apenas 25 anos.

Comecei a pensar na dor que minha mãe teria se eu não estivesse mais presente ali, esse foi meu primeiro despertar. E minha mãe, a pessoa que mais me conhece percebia que eu não estava nada bem, que algo errado estava acontecendo ali, alguns amigos íntimos enxergaram também. Eles começaram a olhar o que não via mas sentia. O meu corpo falava, o meu olhar me entregava e meu comportamento inconstante também. Fui motivada por eles para pedir ajuda, foi a minha melhor decisão que poderia tomar na vida.

Entre longas terapias e também com a ajuda de medicamentos, fui tomando algumas atitudes, até mesmo decisões profissionais. Trabalhava em uma empresa que tinha abusos de autoridade, que por muito tempo potencializou as minhas crises de depressão, no momento que pedi o desligamento percebi que estava tomando as rédeas da minha vida. É como um despertar mesmo, porque eu estava no piloto automático. Fazia tempo que não tomava decisões na minha vida.

Comecei a pontuar o que me tirava do eixo na minha vida pessoal também, fui nascendo novamente.

São dois anos tomando remédios para dormir, controlando a ansiedade e tentando ser menos agressiva com aquilo que não me agrada ou que me fere. Por exemplo, a relação com meu pai após separação com a minha mãe.

Estou expondo isso para vocês porque acredito que alguém que passa por isso pode estar lendo nesse momento e precisa dessas palavras de uma vida real e guerreira. Não deixe a depressão controlar a sua vida, aprenda a controlar ela. Esse tem sido o meu lema, é um desafio mas até o dia de hoje estou ganhando dela.

E a vida tem sido gentil para mim, a minha mãe e minha irmã foram essenciais para entrarem nessa batalha comigo. A minha irmã Brenda me surpreendeu, por ser mais nova que eu, teve um olhar tão certeiro que consegue apontar a minha melhora mais do que eu. Ela é forte, desde que nossos pais se separaram ela foi o meu acalento. Estou certa que se não fosse ela, eu não estaria me sentindo disposta a escrever esse artigo ressignificando minha vida e contribuindo para outras pessoas que passam por essa doença.

Então quero dividir com vocês o que está dando certo para mim, de uma pessoa que queria tirar sua própria vida, está se sentindo confiante em deixar seu relato de superação no blog do Prateleira de Mulher. Não se intimide de procurar ajuda de profissionais, não abandone as terapias, fiz até um processo de regressão no qual eu tinha até um preconceito, e me ajudou muito. Detectei dores que eu não imaginava que estariam ali e estou cuidando.

Procure se conhecer melhor, o processo de autoconhecimento foi e está sendo uma virada de chave para mim. Cuidar da minha mente tem sido meu propósito de vida, ainda sei que tenho muito a percorrer, mas percebo que aquela confusão de quem eu era, onde quero chegar, tá cada vez mais claro para mim.

Então quero deixar registrado aqui que enfrentei a depressão e que eu não iria conseguir sozinha, não iria conseguir estar apta para trabalhar, fazer esporte e ter uma vida social, se não fosse o meu time e os profissionais que tive a sorte de ter comigo na jornada.

Queria dizer pra você atentar-se aos sinais que o seu corpo revela, que olhar para si não é um ato de egoísmo e sim de amor próprio.

Queria dizer pra você atentar-se aos sinais que o seu corpo revela, que olhar para si não é um ato de egoísmo e sim de amor próprio, de força e coragem. Que no meu caso não teve um motivo específico que me levou a ter depressão, foram vários gatilhos desde a minha infância e isso é mais comum do que aparenta, então não tenha medo de encarar a depressão, não se sinta envergonhado a realidade é que todos temos um problema guardado e quando não colocado para fora isso nos machuca.

Related Article

2 Comentários

  1. Gabriela Amanda
    4 semanas atrás

    Aprendi a amar essa mulher maravilhosa que é você Amiga . Do nada vc apareceu na minha vida e me fez enxergar muita coisa que eu “tampava com panos” e pude perceber o quanto vc é especial.
    Parabéns por expor a sua história pra nós e mostrar para o mundo o quanto vc é guerreira.

  2. Paloma Silva Ribeiro
    4 semanas atrás

    De, você é incrível e o seu coração é puro amor e luz. Nunca duvide da força imensa que você tem, beijos! 💜✨

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *