Empregabilidade x Trabalhabilidade: o que muda na sua carreira

Empregabilidade x Trabalhabilidade: o que muda na sua carreira

O termo empregabilidade foi criado nos anos 1990 para designar a capacidade de uma pessoa em ter o preparo necessário para assegurar um emprego formal e fomentar o seu crescimento ao longo dos anos, sendo a conhecida metáfora de subir uma escada ao longo da carreira a representação deste conceito.

Na mesma década, o termo VUCA é cunhado, sugerindo vivermos em um mundo Volátil, Incerto (Uncertain), Complexo e Ambíguo e com o passar dos anos, com a globalização cada vez mais crescente e presente, com a quantidade e velocidade das informações que obtemos e com as mudanças constantes, estas características se acentuam, exigindo das empresas e dos profissionais algumas competências que serão diferenciais para manterem a sua competitividade.

A empregabilidade nos remete a uma carreira estável em uma empresa tradicional, na qual poderíamos trabalhar por muitos anos, mesmo até a aposentadoria. No entanto, este cenário está cada vez mais escasso e na virada do milênio um novo conceito se fortalece, o da trabalhabilidade, que se liga à capacidade de gerar renda e trabalho, independentemente de seu vínculo empregatício, frente às constantes mudanças do mercado.

A pesquisa Tendências globais de capital humano, realizada pela Deloitte, ainda em 2017 já apontava que 65% das empresas possuíam modelos de carreira abertos e flexíveis e apenas 19% mantinham um modelo de carreira estruturado. Ainda segundo a pesquisa, 70% das empresas estariam redesenhando ou já haviam redesenhado toda a sua estratégia de carreira. E 16% não tinham modelo algum. Outro dado divulgado que confirma a transformação das relações de trabalho é de que 51% das empresas pesquisadas esperavam aumentar o uso de terceiros e contratados. Não coincidentemente em 2020, impulsionado pelas incertezas provocadas pela pandemia, o número de trabalhadores temporários contratados foi o mais alto desde 2008.

Profissionais passam então a desenvolver as suas próprias habilidades no intuito de serem protagonistas de suas próprias carreiras, estando atentos às oportunidades e experiências adquiridas e cada vez mais ávidos por novidades movimentam-se pelo mercado nessa busca e se não encontram em determinada empresa, mudam para outra. Nesse sentido, também se fortalece a necessidade de alinhar o trabalho aos seus sonhos e valores pessoais.

Para se enquadrar neste cenário da trabalhabilidade, os profissionais precisam estar atentos à sua capacidade de desenvolver um pensamento crítico, resiliência, criatividade, resolução de problemas complexos e aprendizagem contínua. Além disso, é necessário estarem abertos para a atuação em projetos com tempo determinado, que podem durar alguns meses ou até dois anos.

Transformar competências pessoais em soluções que interessem às empresas e ao público, assim como ocorre no modelo mental das startups, é uma das chaves da trabalhabilidade, sugerindo que os profissionais desenvolvam modelos de negócios próprios, não necessariamente como empresários, mas também em paralelo com o seu emprego formal, como a prestação de consultorias e realização de palestras, por exemplo.

alice castro nunes

Alice Castro Nunes

Consultora de carreira e recolocação profissional para mulheres
Telefone/WhatsApp: +55 21 99106-6708
Insta: @alicecastronunes
Linkedin: alicecastronunes

Related Article

01 Comentário

  1. Luciana
    6 meses atrás

    Resiliência é uma habilidade requisitada em várias áreas da vida!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *