Cuidado com as férias inesquecíveis!

Cuidado com as férias inesquecíveis!

Você já teve férias inesquecíveis? Sinceramente espero que tenha tido aquelas férias inesquecíveis por causa das lembranças, das pessoas, dos lugares maravilhosos e momentos inesquecíveis!

Entretanto, muitos tem férias “inesquecíveis” porque as férias acabam e as dívidas permanecem! Passadas as férias, ainda se está pagando o parcelamento do pacote ou a fatura do cartão de crédito, extrapolada pelas compras não planejadas. Alguém se identificou?

Normalmente, quando se fala em compulsão, pensamos naquelas pessoas que vão ao shopping e voltam cheia de sacolas.

Em um cenário ainda pior, o parcelamento foi feito na promoção em que se podia parcelar em 12 vezes e, agora as próximas férias estão chegando… os amigos vão viajar e para não ficar para trás, você vai ao banco e faz um empréstimo para ter dinheiro para gastar. E assim, a tragédia está anunciada: Férias “inesquecíveis” de novo!

Parece surreal, mas há muitas pessoas que vivem desta forma. As fotos nas redes sociais, os lugares incríveis, as roupas de grife e as gentis lembrancinhas de viagem entregues a família e aos amigos escondem a aflição de uma pessoa endividada.

Há vários tipos de consumidores compulsivos. Normalmente, quando se fala em compulsão, pensamos naquelas pessoas que vão ao shopping e voltam cheia de sacolas. Contudo, lamentavelmente, há pessoas compulsivas por viagens.

Viajar é maravilhoso! E este era um sonho antigo. De forma que, quando eu consegui finalmente sair da faculdade (formada), começou a sobrar uma grana e eu comecei a colocar em prática meu sonho de conhecer todo o litoral brasileiro.

Ao contrário do que muitos pensam, todos podem e devem viajar! Aprendi esta lição com nossos hermanos… Aqui no Sul, no verão (exceto este ano por causa da pandemia), as praias são, literalmente, invadidas por argentinos e uruguaios. Normalmente, pensamos: –Nossa! Como eles tem dinheiro! #SQN!

Quando fiz intercâmbio em Buenos Aires, me hospedei na casa de uma família e tive a oportunidade de conhecer muitos hábitos diferentes. Compreendi então, que viajar está no DNA dos argentinos tanto para os pobres quanto para os ricos. A diferença será o local da viagem e o conforto! Quem tem mais grana, viaja para mais longe, de avião e se hospeda em bons hotéis ou aluga bons apartamentos. Quem tem pouca grana vai de ônibus ou carona e se hospeda em acampamento, em hostel ou em casa de amigos. Além disto, eles costumam ser econômicos e dificilmente, pagam por status.

Voltando a nossa realidade. A dica é ouro é planejamento! Então, a seguir elenco 5 dicas de como planejar e ter uma viagem inesquecível por bons motivos!

Fuja dos pacotes das agências famosas

Você já passou em frente a uma agência de viagem (aquelas famosas) e viu cartazes com preços tentadores? Pura jogada de marketing!

Aí você entra na agência, pede informações e eles te perguntam a data da viagem. Começam a te falar do melhor hotel, oferecem transfers, city tour e assim o valor visto no anúncio dobra. Já passou por isto?

Na maioria das vezes, você já está tão empolgado com a viagem e se imaginando naquele lugar paradisíaco que nem se dá conta disto! E no caso de se dar conta e questionar a diferença do preço anunciado no cartaz para o que foi te apresentado, a resposta é: – Aquele pacote era para a saída no dia “x” e hospedagem no hotel “y” e voo com 3 escalas e 2 conexões. E se você insistir, dizendo que quer o pacote do anuncio assim mesmo, a resposta será: -Não temos mais esta disponibilidade!

Negocie passeios opcionais no local

Se alguma vez você já viajou por agências famosas. Você já deve ter percebido que quando você chega no hotel, a primeira coisa que o guia faz é oferecer os passeios opcionais para todos os dias da semana, dizendo que aquele valor só vale para fechamento da compra naquele momento. Sabe porque isto? Por que se você sair, verá que as agências ou guiais locais oferecem os mesmos passeios pela metade do preço ou até por menos!

Outras opções são realizar os passeios usando aplicativos (neste caso, simule os valores, considerando ida e volta) ou utilizando o transporte público como trem, lotação ou ônibus. Esta última, é uma ótima opção para sair dos roteiros puramente turísticos e conhecer também a cultura e o povo local.

Opte pelo faça você mesmo

Assim como utilizar o delivery de comidas é prático e rápido, mas não é nada econômico. Utilizar os serviços de agências de viagens (principalmente as famosas), também traz praticidade, mas é bem mais caro. Logo, se você quer economizar, vale a pena optar pelo “faça você mesmo”.

Relembrando que planejamento é a palavra de ordem, você precisa ter em mente e, de preferência, anotado o melhor período para sua viagem. Obviamente, a baixa temporada ocorre nos meses contrários as férias. Se você pode viajar neste período do ano, já é uma dica para economizar. Entretanto, mesmo se sua possibilidade de viagem for somente na alta temporada (dezembro, janeiro, fevereiro e julho), se programando com antecedência é possível conseguir também valores acessíveis. Para viagens às regiões caribenhas, fique atento a temporada dos furacões, que ocorre de junho a novembro.

Passagens aéreas – O período ideal para compra de passagens é de seis a três meses antes da viagem. Comprando com muita antecedência, você pode pagar mais caro, devido à baixa procura pelo voo e comprando com pouca antecedência, também pagará mais carro, pois o voo estará quase lotado e os últimos lugares são caríssimos.

É recomendável monitorar os valores das passagens, por no mínimo 1 semana antes de comprar, utilizando sites de buscas e após entrar nos sites das companhias para verificar se realmente não há diferença, pois há sites de buscas que mostram um preço menor e quando se vai efetivar a compra, aparecem várias taxas que deixavam a passagem mais cara que comprando direto na companhia aérea. Fique de olho! Além disto, nestes sites de viagens também há pacotes que são bem mais em conta que nas agências famosas.

Hospedagem – com as várias opções de hospedagens, os hotéis estão com valores mais acessíveis atualmente. A sugestão também são os sites especializados, pois além de encontrar os preços mais em conta, há também avaliações de quem já se hospedou. Para definir o tipo de hospedagem é essencial avaliar a quantidade de pessoas, pois sendo uma família ou mais de 4 pessoas, com certeza alugar uma casa ou apartamento através de sites ou aplicativos especializados será a melhor opção.

Outra alternativa em alta são os clubes de viagens que possuem planos variados conforme a categoria dos hotéis. Normalmente, estes planos são de 7 a 30 diárias para duas pessoas. Os planos são pagos mensalmente (12 parcelas). Como tudo na vida, é importante atenção, pois há planos que cobram mensalidades e no momento da hospedagem também cobram diárias. Não caia nesta! É importante pesquisar, comparar e principalmente, conversar com quem já possui um plano de viagem.

Parcelar não é proibido

Quem já leu meus artigos sabe que eu não considero cartão de crédito ou parcelamento vilões. Vilão é quem não sabe utilizar o parcelamento corretamente! Se você se planejar, você poderá parcelar a compra de forma que quando realmente for viajar, a viagem já estará paga.  Entretanto, a parcela precisa “caber no seu bolso” mensalmente sem que você precise pagar o mínimo da fatura, utilizar cheque especial ou fazer empréstimos.

Não traga dívidas de lembranças

Quando programamos uma viagem é essencial lembrar que além das passagens e hospedagem teremos outros gastos essenciais como por exemplo alimentação e transporte. Pesquise o valor médio da refeição e custos com transportes e então calcule, estipulando um limite de gasto diário. O resultado deste cálculo é o valor disponível que você precisará ter em sua conta para suprir os gastos durante a viagem de forma a pagá-los à vista (em dinheiro ou com cartão de débito). 

Para estes cálculos é importante você ter um roteiro dos passeios que pretende fazer no local. Lembre-se de ter no mínimo duas alternativas extras de passeios e da possibilidade de chuva.

Uma mania que, a maioria de nós brasileiros temos, é trazer das viagens aquelas famosas lembrancinhas inúteis para a família e amigos. Você já viu alguma lembrancinha que você trouxe de viagem na casa de alguém?

Guarde as lembranças na memória e quando sentir saudades olhe as fotos! Em relação a família e aos amigos, faça o mesmo: Converse com as pessoas, conte as lembranças e diga que quando esteve em tal lugar lembrou dele (a) e mostre a foto!

Não esqueça: Dinheiro é um meio e não fim! Desejo a todos férias (verdadeiramente) inesquecíveis!

Até o próximo artigo…

UBUNTU!

Dirlene Silva

Dirlene Silva

LinkedIn TOP VOICES 2020

Economista, Mestre em Gestão e Negócios, Consultora de Inteligência Financeira, Coach e Mentora
https://www.linkedin.com/in/dirlenesilva/

Related Article

10 Comentários

  1. Rose Pinheiro
    3 meses atrás

    Ótimas dicas! Nunca fui de gastar mais do que deveria nas viagens, mas amo tirar férias! Lembro de uma viagem para os Estados Unidos que meu cunhado passou o ano pagando as dividas da família, foi a primeira vez deles no exterior e se empolgaram demais com a terra do tio Sam.

    • Dirlene Regina da Silva
      3 meses atrás

      Rose! Obrigada pelo relato! A ideia do artigo é justamente alertar as pessoas que é possível sim planejar para evitar a empolgação e consequente lembrança negativa (dívidas)!

  2. Luciana C Dalbem
    3 meses atrás

    Amei estas dicas amiga Dirlene. Bjs

  3. Alessandra Cicera Evangelista
    3 meses atrás

    Realmente, é preferível fazer um planejamento financeiro antes, guardar o dinheiro para tão sonhadas férias, do que se aventurar em parcelas a perder de vista. Vc não sabe se vai estar empregado.

    • Dirlene Regina da Silva
      3 meses atrás

      Obrigada pelo interação, Alessandra! Com certeza guardar dinheiro, ou seja, planejar é o melhor… aí ficam realmente só as lembranças boas!!

  4. Kelly L Gobatto
    3 meses atrás

    Parabens pelo trabalho… Ta ldo e com excelentes dicas….bjao

  5. Luciana Conceição
    3 meses atrás

    Ótimas dicas. Eu costumo pesquisar tudo antes de ir, e também tenho um orçamento diário na viagem. Viajar é importante, mas precisa ter pés no chão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *