Como reconhecer minhas capacidades financeiras?

Como reconhecer minhas capacidades financeiras?

Logo, quando se fala da inteligência financeira e cito que o pressuposto essencial é reconhecer as capacidades financeiras, muitas pessoas confessam que não sabem como iniciar este processo.

Este tópico faz parte do conceito de inteligência financeira que é ter domínio de suas capacidades financeiras.

Relembrando que a inteligência financeira é um braço da inteligência emocional e pressupõe a habilidade de ter as ações com dinheiro sob controle, ou seja, conhecer exatamente suas capacidades financeiras, de forma que quando se adquire algo se faz pela real necessidade e sabe-se exatamente sua capacidade de pagamento. Também significa, ainda não ter atitudes impulsivas de consumo, entendendo a diferença de preço baixo, preço alto e preço justo.

A partir disto, ratificando que assim como em qualquer processo de mudança, para ter uma transformação em sua vida financeira são necessárias, prioritariamente duas condições: primeiro ter vontade de efetuar a mudança e, segundo conhecer sua realidade financeira.

Logo, se a vontade já existe, você precisa ter a capacidade de responder as seguintes questões:

  • Você confere periodicamente seu extrato bancário?
  • Qual é seu saldo hoje?
  • Você sabe qual é seu recebimento mensal?
  • Conhece seus gastos fixos, variáveis e supérfluos?
  • O seu saldo do mês termina no positivo ou negativo?

Se mesmo tendo vontade de mudar sua vida financeira, você não consegue responder a todas estas questões, é essencial parar e fazer este exercício de autoconhecimento financeiro para avançar no processo de saúde financeira, pois o CONHECIMENTO de sua SITUAÇÃO ATUAL é condição obrigatória para chegar a uma situação desejada.

Salário / Pró-labore

Se você trabalha no regime CLT, o mais comum no Brasil, saiba que seu salário bruto é diferente do líquido, ou seja, aquele valor que de fato é creditado em sua conta.

Exemplo: Se você possui um salário bruto de R$ 5.000,00, o valor máximo que será creditado em sua conta é R$ 4.084,88. Isto considerando apenas os descontos dos impostos como INSS e IR. Para chegar ao valor exato que certamente será menor, dependerá de outros fatores como: participação no vale transporte, no plano de saúde, plano de previdência privada, cartão de benefício com desconto em folha e empréstimos consignados.

Mesmo para quem é empreendedor o faturamento bruto não pode ser considerado como resultado financeiro final, pois há uma grande diferença entre o faturamento contábil e fluxo caixa: há impostos, custos e despesas de manutenção e serviços. Além disto, é preciso considerar o prazo de pagamento concedido ao cliente. Por isto é tão importante o empreendedor definir um valor de pró-labore, que o salário do empreendedor, separando assim as finanças pessoais das finanças do negócio.

Se você é empreendedor, indico o curso de Finanças do negócio: Turbine sua gestão Financeira com Dina Prates aqui na plataforma Blaxp.

Gastos x Custos x Despesas

Tecnicamente há diferença entre os conceitos de gastos, custos e despesas. Contudo, meu proposito é desmistificar economia e finanças para pessoas de forma a trazer para o dia a dia, logo não vejo sentido ficar trazendo conceitos teóricos que só vão atrapalhar o entendimento, pois em resumo os três termos significam saída de dinheiro do seu bolso. Desta forma, aqui no curso vou usar a nomenclatura de GASTOS.

Gastos fixos

São considerados gastos fixos  aqueles que ocorrem todos os meses e são indispensáveis para sua sobrevivência como aluguel/prestação do imóvel, condomínio, luz, água, telefone, internet, alimentação básica, higiene e etc.

Gastos variáveis

Os gastos variáveis são os demais gastos e podem ser classificados como necessários como escola, cursos, faculdade e transporte e; supérfluos como academia, tratamentos estéticos, shows, cinema, happy hour, roupas, calçados e etc.

Depois de conhecer seu recebimento líquido e conhecer seus gastos é preciso saber como fica seu saldo mensal e é a partir daí que ações poderão ser tomadas, pois parte-se sempre de uma SITUAÇÃO ATUAL para se chegar a uma SITUAÇÃO DESEJADA.

Gastos variáveis

Os gastos variáveis são os demais gastos e podem ser classificados como necessários como escola, cursos, faculdade e transporte e; supérfluos como academia, tratamentos estéticos, shows, cinema, happy hour, roupas, calçados e etc.

Depois de conhecer seu recebimento líquido e conhecer seus gastos é preciso saber como fica seu saldo mensal e é a partir daí que ações poderão ser tomadas, pois parte-se sempre de uma SITUAÇÃO ATUAL para se chegar a uma SITUAÇÃO DESEJADA.

Cartão de crédito

Ao contrário do que muitos falam, eu não considero o cartão de crédito um vilão, ao invés disto, ele pode ser um grande aliado, aumentando nosso poder de compra. Basta ter controle, não se deixando iludir pensando que as compras pagas com ele irão para a Terra do Nunca e serão pagas por Peter Pan.

É importante ter em mente que o cartão de crédito é apenas um meio de pagamento. Ao passá-lo, significa que você está assumindo uma dívida.  Por isto, não se iluda: cartão de crédito é dinheiro.

Assim, controle cada real que você paga no cartão. É primordial que antes de efetuar uma compra, você ajuste o valor da parcela da compra, computando o valor mensal da fatura do cartão no seu orçamento.

O perigo do cartão se tornar um vilão é não pagar o total da fatura, entrando no rotativo do cartão. Os juros anuais cobrados pelas administradoras chegam a até 310% ao ano.

Poder de compra

Trago este ponto de poder de compra por minha experiência de 30 anos em empresas. Uma empresa por mais que tenha dinheiro em caixa, utiliza parcelamento ou financiamentos para efetuar suas compras, mantendo assim seu fluxo de caixa e seu poder de compra.

A diferença é que as empresas possuem um setor de Contas a Pagar em que  haverá uma pessoa para fazer este controle.

Contudo, nós pessoas físicas também podemos fazer isto. Basta ter este controle e é isto busco ensinar as pessoas:  utilizar os recursos financeiros a seu favor. 

Um exemplo: Determinado produto custa R$ 1.500,00. Não há desconto se pagar no débito, no crédito em única vez ou parcelado em 10 vezes.

Ao optar em pagar em 10 vezes, você pagará parcelas de R$ 150,00 e isto significa que você estará aumentando o seu poder de compra, podendo comprar outras coisas no mês.

Contudo, isto pode se transformar em um problema se não for bem planejado. Antes comprar ou parcelar algo no cartão, você precisa saber quanto ficará a fatura mensal deste cartão, pois se você não conseguir pagar o total da fatura e entrar no rotativo, significa que você fez uma péssima escolha e aí sim o cartão se transformará em vilão. Mesmo assim, a culpa não é do cartão e sim, sua que não soube utilizá-lo.

Outro exemplo: Uma dívida de R$ 1.000,00 no rotativo do cartão de crédito a juros mensais de 9,95% se transformam em R$ 2.121,30 em 12 meses (um ano). Ou seja, mais que o dobro.

Quando falamos de juros bancários, falamos de juros compostos, ou seja, juros sobre juros. Logo 9,95% ao mês se transformam em 212,13% ao ano.

Minha sugestão é ter no máximo dois cartões de créditos com datas de vencimentos diferentes e assim centralizar suas compras nos cartões, pois fica mais fácil gerenciar.

Outro fator de descontrole é ter vários cartões de diversas bandeiras e mais cartões de lojas.

Então, recapitulando os passos para RECONHECIMENTO DE SUAS CAPACIDADES FINANCEIRAS

Primeiro passo

Fazer um exercício de autoconhecimento financeiro para ter conhecimento e domínio de sua situação atual.

Qual seu recebimento líquido (valor creditado na conta)? Qual seus gastos fixos e variáveis, separando-os por necessários e supérfluos, apurando se ao final do mês seu saldo ficou negativo ou positivo.

Segundo passo

Ter consciência de que cartão de credito é dinheiro e ciente disto, utilizá-lo a seu favor para aumentar seu poder de compra.

Dica da Dirlene

Livro
Como organizar sua vida financeira – Gustavo Cerbasi

Neste livro Gustavo Cerbasi defende que a chave para obter sucesso é ter autoconhecimento da sua situação financeira atual. Para isso, é fundamental envolver a família para entender todas as despesas, dívidas e investimentos que ela possui.

Prática

Utilize os dois passos citados para reconhecer suas capacidades financeiras.

Até o próximo artigo…

UBUNTU!

Dirlene Silva

Dirlene Silva

LinkedIn TOP VOICES 2020

Economista, Mestre em Gestão e Negócios, Consultora de Inteligência Financeira, Coach e Mentora
https://www.linkedin.com/in/dirlenesilva/

Related Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *