Educação Financeira x Inteligência Financeira. Afinal, qual a diferença?

Educação Financeira x Inteligência Financeira. Afinal, qual a diferença?

Educação financeira e inteligência financeira são dois termos complementares, mas que possuem significados diferentes.

A educação financeira é o processo de aprendizado sobre finanças. Através dela, é possível desenvolver a compreensão a respeito de conceitos financeiros. Um exemplo é fazer um curso que ensina a construir um planejamento financeiro.

Contudo, a educação financeira acessada pelos diversos meios como cursos, artigos, livros ou vídeos nos oportunizam o entendimento do que precisa ser feito para organizar nossas finanças, mas não significa e tampouco garante que vamos agir de maneira inteligente com nosso dinheiro, pois o conhecimento só traz resultado quando é colocado em prática e é disto que trata a inteligência financeira que são as ações e comportamentos adotados para controlar o dinheiro, através do conhecimento adquirido na educação financeira.

A inteligência financeira está diretamente relacionada à inteligência emocional, pois ao contrário do que se pensa, o comportamento financeiro é mais emocional do que racional e está ligado a habilidade de reconhecimento de suas capacidades financeiras, organização e disciplina.

A inteligência financeira é a habilidade de ter as ações com dinheiro sob controle, ou seja, conhecer exatamente suas capacidades financeiras, de forma que quando se adquire algo se faz pela real necessidade e sabe-se exatamente sua capacidade de pagamento. Também se pressupõe ainda, não ter atitude impulsiva e entender a diferença entre preço baixo, preço alto e preço justo.

Finanças

Como toda a habilidade, a inteligência financeira pode ser desenvolvida em qualquer momento da vida. Obviamente que quanto mais cedo melhor.

As principais competências que demonstram inteligência financeira são:

  • Reconhecer suas capacidades financeiras
  • Proteger seu dinheiro
  • Melhorar suas relações financeiras
  • Fazer mais dinheiro
  • Olhar para o futuro
  • Sonhar e realizar

Reconhecer suas capacidades financeiras

Esta é a premissa da inteligência financeira, pois todo e qualquer processo de mudança, o ponto de partida e de ação é o reconhecimento da situação atual. Com as finanças não é diferente.

Logo, esta capacidade requer que você tenha domínio sobre suas finanças. Para isto, é essencial saber exatamente qual seu rendimento bruto, líquido e seus gastos. É importante separar o que é custo de vida (aluguel/prestação casa própria, luz, água, alimentação) dos demais gastos e depois classificá-los como fixos e variáveis, essenciais e supérfluos.

A partir do reconhecimento de suas capacidades será possível iniciar um orçamento, que nada mais é, que organizar de forma visual (podendo ser em um caderno, planilha ou aplicativo) sua vida financeira. Comece anotando seu rendimento mensal (receita) e gastos (despesas). Assim, você fará a apuração e terá consciência se seu saldo está positivo (lucro) ou negativo (prejuízo).

O passo seguinte é o planejamento financeiro que através do orçamento, prevê possibilidades de ações financeiras futuras. Exemplo: Se seu saldo está negativo, é preciso adotar ações para solucionar o problema. Como negociar dividas, reduzir gastos e etc. Já se o saldo está positivo, que é sempre a situação desejada, deve-se buscar a melhor opção de investimento.

Proteger seu dinheiro

É a capacidade de cuidar do seu dinheiro, evitando pagar por coisas desnecessárias. Como pagar juros, tarifas e o pior, cair em golpes.

Pesquisas dos órgãos de proteção ao credito revelam que esquecimento é o terceiro maior motivo inadimplência, perdendo apenas para falta de dinheiro e super endividamento. No âmbito financeiro, o esquecimento custa caro!

O não recebimento do boleto de uma conta mensal, não significa que você não precisa pagar. Por exemplo, mesmo se você não recebeu a fatura de energia elétrica, do telefone, do cartão de crédito ou boleto da escola/faculdade, não significa que você não precisa pagar. Certamente, há um contrato que foi assinado, ou seja, você se comprometeu mensalmente a pagar. Então, é muito importante que você adote um método para te ajudar a lembrar a data de vencimento de suas contas, pois se esquecer, você pagará por isto.

Contudo, quando falamos em juros os maiores vilões são o cheque especial e o rotativo do cartão de crédito. Que variam de 200% a 400% ao ano.

Em relação a tarifas, poucos sabem, mas uma Resolução do Banco Central  determina que todos os brasileiros tenham direito a ter gratuitamente uma conta corrente em qualquer banco. Obviamente, nenhum banco diz isto. Assim como ocorre com a conta corrente, nenhuma instituição informa que há opções de cartão de crédito sem anuidade.

Durante a pandemia os golpes financeiros aumentam mais de 80% segundo a Federação Brasileira de Bancos (FEBRABAN). Os tipos de golpes são os mais diversos, contudo os mais comuns referem-se a ganhos de prêmios, promessas de rendimentos muito acima do praticado pelo mercado para aplicações e roubo de dados.

Melhorar as relações financeiras

É a capacidade de analisar e questionar seus hábitos financeiros de forma a melhorá-los. Assim, antes de comprar algo deve-se levar em consideração a necessidade do item. Faça o teste dos 3 P’s, usando os seguintes questionamentos:

  • Por que comprar? Qual a utilidade?
  • Preciso? Neste exato momento?
  • Posso? Pagar SEM sacrifícios?

Muitas vezes melhor do que as respostas, são as perguntas. As perguntas são poderosas e podem significar um livramento de dívidas futuras, pois normalmente (quase sempre), os hábitos de consumo estão diretamente ligados ao quanto somos influenciados pelos padrões impostos pela sociedade.

Por que comprar o produto X, se Y tem a mesma funcionalidade, tem boa qualidade e é vendido por um preço 30% menos que o preço de X? Quebrar este ciclo é agir com inteligência financeira.

Reduzir consumo como de luz, água, gás, planos de assinaturas e substituindo alguns hábitos também são formas de melhorar a relação com o dinheiro.

Fazer mais dinheiro

É a capacidade de aumentar sua fonte de renda. Existem duas formas de fazer mais dinheiro: Uma é trabalhando mais, ou seja, ter uma fonte de renda extra, a outra é investir que é, sem dúvida alguma, a melhor alternativa. Entretanto, não é uma opção para todos.

Se você já aumentou as habilidades anteriores: reconhecendo suas capacidades financeiras, protegendo seu dinheiro, melhorando suas relações financeiras e mesmo assim o saldo mensal ficou negativo, é hora de agir e aumentar sua capacidade de fazer dinheiro. Neste caso, a única maneira de fazer dinheiro de forma honesta é trabalhar mais.

Há muitos questionamentos de como escolher uma atividade para obter renda extra. Defendo, primordialmente, a mudança de mindset em relação dinheiro, encarando-o como uma ponte para satisfação e felicidade e não como algo doloroso. Logo, acredito que ao optar por uma atividade que vai lhe proporcionar renda extra, deve primeiro ser levado em consideração o que você gosta de fazer. Reflita sobre quais são seus hobbies? O que você realmente mais gosta de fazer?

Alguns exemplos: Pessoas que adoram cozinhar, optam por fazer marmitas, doces ou salgados. Pessoas que gostam de moda optam por abrir lojas físicas ou virtuais. Pessoas que gostam de ensinar vão dar aulas particulares e pessoas que gostam de dirigir vão trabalhar em aplicativos.

Enfim, as opções de atividades para renda extra, felizmente são muitas. O passo determinante mesmo é a VONTADE.

Olhar para o futuro

É capacidade de viver o presente em sua plenitude, mas vislumbrando o futuro. A maioria das pessoas que estão no mercado de trabalho hoje, não irão se aposentar. As relações de trabalho têm mudado. A expectativa de vida aumentou e estamos vivendo mais. A pirâmide etária do Brasil se inverteu e a previsão é que até 2050 a maior parcela da população terá mais 50 anos. Ou seja, precisamos urgentemente pensar no futuro.

Logo, quando falamos em futuro, pensamos em investimento e falando investimento, o primeiro passo é constituir uma reserva de emergência.

A reserva de emergência é um valor que vai cobrir seus gastos essenciais por um determinado período, geralmente de seis meses a um ano, em caso de perda de fonte de renda.

A pandemia é um exemplo. Muitas pessoas perderam seus empregos ou tiveram seus empreendimentos fechados neste período e assim estão sobrevivendo graças as suas reservas de emergências. Se não as tinham, tudo ficou mais difícil.

Exemplo: Se mensalmente, seus gastos essenciais são de R$ 2.000,00, você precisaria ter uma reserva de emergência de, no mínimo, R$ 12.000,00 para sobreviver 6 meses sem renda.

Poupando no mínimo R$ 200,00 por mês (10% dos gastos essenciais apurados) em 60 meses. Ou seja, em 5 anos, aplicando em um produto com rendimento de 100% do CDI você teria R$ 12.806,03 ao final do período.

Sonhar e realizar

É a capacidade de sonhar e monetizar (dar um valor) ao sonho. Em minha busca por humanizar as finanças, defendo que é essencial entender que o dinheiro é um meio e não um fim. O dinheiro serve para nos servir e não o contrário.

Desta forma, depois de ter uma reserva de emergência é hora de pensar em investimentos de longo prazo, adotando um planejamento estratégico para a sua vida. Quais são seus sonhos? Seus desejos? Seu propósito de vida?

Pensando assim, se torna muito mais agradável pensar em fazer dinheiro, pois o dinheiro vai te proporcionar realizar seus sonhos!

Então, a partir disto, busque adequar sua vida a regra 50-30-20:

A regra 50-30-20 pressupõe que devemos utilizar 50% da renda para os “gastos fixos e essenciais” como moradia, alimentação e educação; 30% com “estilo de vida” como roupas e lazer, destinando 20% para investimentos

Infomoney, 2020

É a capacidade de sonhar e monetizar (dar um valor) ao sonho. Em minha busca por humanizar as finanças, defendo que é essencial entender que o dinheiro é um meio e não um fim. O dinheiro serve para nos servir e não o contrário.

Por fim, se você já possui, está desenvolvendo ou potencializando as habilidades acima, Parabéns! Você aumentou ou está aumentando seu QI financeiro! Se ainda não conseguiu: Nunca é tarde para começar, mas é importante iniciar!

Sobretudo, tenha em mente que a relação que você estabelece com seu dinheiro determinará também sua qualidade de vida e lembre-se:

Sem sonhos a vida não tem brilho. Sem metas os sonhos não tem alicerces e sem prioridades os sonhos não se realizam

Augusto Cury

Até o próximo artigo…

UBUNTU!

Dirlene Silva

Dirlene Silva

LinkedIn TOP VOICES 2020

Economista, Mestre em Gestão e Negócios, Consultora de Inteligência Financeira, Coach e Mentora
https://www.linkedin.com/in/dirlenesilva/

Related Article

3 Comentários

  1. Luciana
    6 meses atrás

    Muito bom esse artigo. Ilustrativo! Obrigada por esse compartilhamento

  2. Ellen Rabello
    4 meses atrás

    Ótimo artigo, claro e objetivo! Parabéns Dirlene!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *