Cada um sabe a dor e a delícia de ser quem é. Será?

Cada um sabe a dor e a delícia de ser quem é. Será?

Para saber a dor e a delícia, primeiro é preciso saber quem se é.

Parece simples né? Que tal um desafio? Faça esse exercício agora. Responda a pergunta: Quem você é? Mas calma, ainda não! Diga quem você é sem dizer seu nome, sua profissão, onde você mora, ou mesmo a sua história.

E aí? Complicou né?

Pode ter surgido algo como: sou uma pessoa em processo de evolução. Ou ainda: sou alguém que ama a vida. Entre outras opções vagas.

E se eu te dissesse que tem um jeito de responder essa pergunta com um gráfico? Mas como assim, Laís? Quem eu sou não cabe num gráfico. Pois é, cabe sim. Esse é o meu trabalho, deixa eu te explicar melhor.

Cada um conhece sua própria história, ou pelo menos aquela que conseguimos nos lembrar. Afinal, boa parte da nossa história da infância é muito mais sobre o que nos contam, do que sobre o que de fato lembramos e isso é natural, pois as conexões e estruturas neurais que são responsáveis pela memória vão se desenvolvendo ao longo da primeira infância.

Cerca de 95% das nossas escolhas, são conduzidas pelo nosso inconsciente.

Não sei se você já ouviu falar sobre a importância da primeira infância, mas a psicanálise e as neurociências já notaram o quanto ela reverbera durante toda a vida. Mas não se preocupe, meu objetivo aqui é te mostrar porque isso faz tanta diferença, sem as complicações dos termos técnicos e acadêmicos. Porque acredito que quanto mais simples de entender é mais fácil de aplicar as informações no cotidiano.

E você deve agora estar se perguntando, o que  isso tem a ver com uma pessoa caber num gráfico. Calma que vou chegar lá. Desde o período da gestação até por volta dos 6 anos de idade, as experiências e sensações que vivemos, mais intensamente ficam marcadas na nossa mente e corpo para o resto das nossas vidas. Isso acontece porque é justamente na fase da primeira infância que as conexões neurais que serão a base do nosso funcionamento inconsciente são estabelecidas.

Você já deve ter ouvido falar que cerca de 95% das nossas escolhas, são conduzidas pelo nosso inconsciente. É justamente nessa parte da nossa mente que estão as reações automáticas, é onde está nossa resposta rápida, nossos hábitos, já parou para pensar o quanto é difícil mudar um hábito? É justamente por ele estar rodando no automático no nosso cérebro.

Quem nunca tentou acender a lâmpada quando faltou energia, mesmo sabendo conscientemente que não iria acender, o hábito fez você apertar o interruptor. Percebeu o quanto é automático o processo. Nosso cérebro gosta de repetição e de padrões conhecidos, e isso é estabelecido na infância e define o nosso jeito de funcionar no mundo.

E você deve estar se perguntando: como assim? Jeito de funcionar no mundo?

Bem eu tenho certeza que você deve conhecer alguém que  é chamado de chorão, carente, outros que são taxados de frios, insensíveis, competitivos, ou aqueles que são mais calados, até mesmo irmãos gêmeos apresentam comportamentos distintos, enfim. Tenho certeza que você lembrou de várias pessoas e pode até ter se encaixado em algumas dessas características. A grande questão é que todos nós temos um conjunto de características individuais que podem ser mapeadas em percentual, é como um mapa do seu funcionamento no mundo. E essas características podem estar sendo usadas a nosso favor como recursos, ou mesmo sendo vistas como “defeito” e isso gera uma sensação de inadequação e vazio, podendo acarretar problemas mais sérios como ansiedade, depressão entre outras questões tanto emocionais quanto físicas.

Grande parte das frustrações estão relacionadas a falta de autoconhecimento e autoaceitação, porque dependendo do que está gravado na sua mente e no seu corpo você terá níveis diferentes de dificuldade para realizar tarefas. E isso pode parecer óbvio, porém é cada vez mais comum a autocobrança por atender a uma expectativa inatingível, ou mesmo que fazer algo que envolve um custo emocional muito alto, esse processo pode inclusive ser reforçado pela cultura do “esforço” onde você não pode parar, e sempre tem um “guru” de ultraperformace para ensinar a receita do sucesso. Para ilustrar esse processo e você entender onde quero chegar, vou te dar um exemplo da natureza. Já imaginou se uma águia tentasse nadar ou se um peixe tentar voar? Vai dar certo? Não né. Pois é, imagina alguém que tem uma necessidade de comunicação enorme, trabalhar numa biblioteca onde precisa ficar calado(a) a maior parte do tempo.

Já imaginou quem odeia falar em público ser palestrante?

Quando falo de autoconhecimento, é sobre usa-lo como ferramenta para saber quais os seus recursos e dores, onde somos bons, o que  fazemos com facilidade, o que nos gera energia de vida e isso tudo é na prática do dia a dia. Não existe receita única. O que existe é se conhecer e viver a leveza de saber o que nos faz bem.

Acredito que a grande questão da vida é gerenciar emoções, afinal não dá para controlar

Mas e o gráfico? Estou chegando lá!

Cada fase da primeira infância estabelece nossas características para o resto da vida, e essas características ficam marcadas na nossa mente e também interferem no nosso formato do corpo. Então através do Access Mind eu consigo identificar qual percentual destas características foram configuradas no comportamento e enfim, a partir de um gráfico descrever o padrão de funcionamento inconsciente e fazer o manual de funcionamento que chamo carinhosamente de Biomapa. Não é à toa que chamei de mapa da vida, pois a cada atendimento percebo o quanto esse conhecimento torna a vida mais leve e conduz para uma autogestão emocional. Por isso criei um projeto chamado Seja CEO da Sua Vida, pois acredito que a grande questão da vida é gerenciar emoções, afinal não dá para controlar.

Não gosto do termo controle emocional, porque se ficar focado em controlar pode gerar mais problemas ainda. Experimente ler e seguir a orientação da próxima fase: Não pense numa árvore! E aí, deu certo? Acho que não né. Esse é um simples exemplo de como funciona esse piloto automático. Então, entender o funcionamento permite gerenciar o que sentimos e também lidar melhor com o nosso ambiente, entendendo e atendendo às nossas necessidades, e acima de tudo encontrando as formas de lidar melhor com situações desafiadoras. E para clarear um pouco mais sobre como tudo isso funciona na prática, vou te contar algo que aconteceu comigo e eu só entendi dez anos depois, quando tive acesso ao meu Biomapa.

Eu estava em uma reunião profissional e comecei a chorar, lembro que era um fechamento de ano e eu simplesmente não sabia o que faria no ano seguinte, então depois de vários dias pensando e sem conseguir achar alternativas me vi numa situação intensa, e não consegui segurar a emoção. Me lembro de ter me sentido péssima, de ser alvo de olhares tortos, de pena, e de tantos outros sentimentos e lembro também de ter vontade de sumir dali e nunca mais comentar sobre o assunto. Lembro-me da expressão atônita de colegas, que estavam ali sem saber o que dizer ou como reagir a tudo aquilo.

Era como se eu fosse menos, apenas por ter expressado uma emoção inerente da vida, num ambiente que “não deveria”. E só dez anos depois, quando vi o meu Biomapa, quando entendi o meu perfil de comportamento, eu consegui me acolher o suficiente para saber que aquele choro foi só uma parte de mim que estava precisando se expressar, foi somente um momento meu sendo eu, e que a mesma característica que me fez chorar numa reunião, me faz uma pessoa comunicativa, empática e espontânea.

Hoje tenho como missão trazer essa leveza para a vida das pessoas, trazer clareza, autoconhecimento aplicado à vida prática, entregar manuais de funcionamento e acompanhar em mentorias, com um foco especial para mulheres. E você, tá pronta para ser CEO da sua própria vida?

É simplesmente libertador saber como você funciona, a chave para uma vida mais leve é justamente se entender, se acolher, e viver a partir daquilo que te faz bem. Você não precisa mudar para se encaixar, você precisa se conhecer para saber onde e o que lhe cabe.

Lais Agra

Laís Agra

CEO da Biomapa, Educadora, Terapeuta, psicanalista casada há 11 anos e mãe. Com Formação acadêmica em Engenharia Ambiental e Engenharia de Segurança do Trabalho, porém é entusiasta do desenvolvimento humano, hoje trabalha para ajudar mulheres a gerir as emoções e recursos reduzindo a sobrecarga através de mentorias, conteúdo online e palestras, com o projeto mulher CEO da própria vida.

Linkedin: linkedin.com/in/lais-agra-886bb679/
Instagram – @alaisagra
Whatsapp – 81 98244-2934

Related Article

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.