Quando o dinheiro é meu e quando é da empresa?

Quando o dinheiro é meu e quando é da empresa?

É tão confuso quando somos pequenos empreendedores, somos o comprador da empresa, o vendedor, o caixa, o operacional. Enfim, costumamos dizer que somos o goleiro e o atacante. E dai? De quem é o dinheiro?

Realmente é confuso, mas fique calmo(a)! Mas vamos esclarecer agora. A partir do momento que abrimos um negócio, ainda que sejamos nós o próprio negócio, necessitamos dividir a pessoa física (eu) da pessoa jurídica (empresa).

PF = Pessoa Física, indivíduo portador de um CPF
PJ = Pessoa Jurídica, indivíduo portador de um CNPJ

Nós como pessoa física, prestamos serviços para a pessoa jurídica, logo tudo que é executado em nome de uma pessoa jurídica, deve ser faturado e recebido pela empresa.

Ai Luciana, que difícil!

(em tempo, necessita-se ter discernimento do conceito de empresa, quanto instituição)

Não é não.

Hoje, pode parecer, pois você está começando e está sozinho, mas logo, quando tiver equipe, vai entender que a empresa é uma coisa e você é outra. Devemos separar os chapéus. Você precisa ter estabelecido um “salário” por mês. O restante fica na empresa. Tente ter uma conta corrente sua, e uma da empresa. Faça compras separadas da empresa e sua.

Anote na planilha de controle as saídas que forem suas e as que são da empresa. Senão fica difícil saber se a empresa é rentável, se a empresa dá lucro e quanto.

Ah Lu, mas eu não tenho como ter duas contas.

Tudo bem, então faça o controle na planilha separado, para que mesmo saindo de uma mesma conta corrente, você consiga saber quais foram os gastos da empresa e quais foram os seus. A empresa precisa saber qual seu faturamento e quais seus custos e despesas. E você precisa saber quais são suas despesas mensais.

Acontece MUITO de pequenos empreendedores misturarem tudo e “enforcarem” as empresas. E ai acha que a empresa vai mal. Na verdade a empresa é saudável, mas o dono está matando-a com muitas contas pessoais.

Pegue um papel e anote quais são suas despesas pessoais mensais. Depois faça o mesmo com a empresa. A empresa precisa primeiro pagar as contas dela, dentro dessa conta, está o seu salário, que chamamos de pro labore. Seu pro labore, precisa ser compatível com a empresa.

Por exemplo, você tem uma loja de material de construção. Fatura em média 100 mil reais. Seu lucro liquido é no máximo 15%. Logo você não pode ter um pro labore de 30 mil reais. Ah mas eu não vivo com menos. Tudo bem, então você precisa:

  1. achar outra fonte de renda

  2. diminuir suas despesas

  3. aumentar o faturamento da sua empresa

Ah Lu, meu caso, sou uma MEI, eu presto serviços para um salão de cabeleireiros.

Bom, nesse caso você é PJ somente para efeito de formalização, então não se encaixa no assunto acima.
MEI = Micro Empreendedor Individual, um tipo de Pessoal Jurídica

Estamos falando de empreendedores com formato de empresas, ainda que pequenos, estão buscando crescer, contratar, expandir. Se não for seu caso, ok! Hoje em dia, acontece muito de pessoas serem PJ para efeito de formalização, ou seja, ao invés de ser CLT, ser PJ. Será que ficou claro?

Deixe seu comentário. Caso precise esclarecer algo, estou aqui!

Mantenha controles, ainda que em Excel ou cadernos, é necessário ter controles para fazer gestão.

Abraços até o próximo artigo.

Luciana Conceição

Luciana Conceição

Consultora empresarial
Formada em Administração com Planejamento Empresarial pelo Uninove, pós graduada em Gestão de Negocios e MKT pela ESPM. Há 25 anos no ramo de administração, ex docente do Senai, há 8 anos empreendendo.
11 99555-9899
luciana@reinodochurrasco.com.br

Related Article

2 Comentários

  1. Thalita
    6 meses atrás

    Realmente é um desafio mto grande conseguir esse controle. A prática é mto mais difícil que a teoria
    Obrigada pelas dicas

  2. Luciana Conceição
    6 meses atrás

    Oi Thalita, obrigada pelo comentário. Não é tão difícil, Precisa ter o habito de anotar tudo. Uma única planilha, coloca uma coluna com centro de custo, mesmo que seja uma conta corrente você consegue “filtrar” o que é de quem. E assim fica fácil analisar. beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *